Como faturar mais com o comércio online?

Se o varejo físico ainda não deslanchou como o esperado, o mesmo não se pode dizer do e-commerce. Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o setor cresceu 12% em 2017, acumulando faturamento na faixa de R$ 59,9 bilhões. Curiosamente, no entanto, ainda há empresários do segmento se perguntando como faturar mais com as vendas online.

Ao analisarmos dados externos, o cenário parece ser ainda mais promissor: 69% dos brasileiros já têm acesso à internet pelo celular; 64% deles compram online produtos que foram vistos em lojas físicas; 93% das pessoas já fizeram ao menos 1 compra pela internet.

Esses são apenas alguns indícios que provam que as oportunidades estão disponíveis em abundância no país. Crescimento ou estagnação no setor dependerá então de sua capacidade de formular estratégias vencedoras e de se atentar a detalhes fundamentais no processo de conversão. Os mais importantes deles você vai conferir agora!  Acompanhe-nos!

1. Conheça seu público-alvo

Como faturar mais sem saber para quem você vende? Antes de estruturar sua loja online, é preciso entender com quem ela vai se comunicar.

Pesquisas de alcance geográfico, características demográficas (gênero, faixa etária, escolaridade e classe social), além de estilo de vida (valores e hábitos) e análise de mercado são imprescindíveis para preencher lacunas que a concorrência ainda não conseguiu detectar.

Você pode fazer esses levantamentos por meio de entrevistas, análise de reações em redes sociais e benchmarking.

2. Atente-se à escolha da plataforma

Sua plataforma de e-commerce pode ser, basicamente, de 3 tipos:

Gratuita: de modelo open source, essa opção garante maiores possibilidades de personalizações. Entretanto, uma possível precariedade nos quesitos segurança, estabilidade e manutenção pode colocar em xeque sua utilização.

Paga: esse formato tem a vantagem de ser mais robusto, com maior estrutura de suporte e manutenção, além de apresentar maior estabilidade e segurança. A desvantagem é que essas soluções costumam ser pré-concebidas, ou seja, com pouca possibilidade de customização.

Própria: aqui, é você quem constrói sua plataforma, e na medida estrita de suas necessidades. É a opção mais flexível e aderente ao seu modelo de negócios, mas que requer uma equipe dedicada para seu desenvolvimento, além de custos mais altos de implantação.

3. Dê ao seu cliente múltiplos canais de pagamento

Como faturar mais com uma loja virtual sem entregar soluções variadas de pagamento? Sua área de checkout deve oferecer ao cliente, no mínimo, as opções mais tradicionais, como boleto bancário, cartão de crédito/débito e transferência online. Se seu negócio tiver um DNA mais inovador, é possível também pensar em troca de milhas e criptomoedas.

Fique atento também ao player de pagamento, que deve ser escolhido em sintonia com o comportamento de seu consumidor. Você pode optar por soluções próprias (que exigem investimentos em ferramentas de segurança e gestão de risco) ou terceirizar o serviço, mediante gateways de pagamentos (que funcionam como maquinetas virtuais de cartões) ou intermediadores (como PayPal, PagSeguro e MercadoSeguro).

4. Foque suas atenções no design e usabilidade

O design da loja online afirma a identidade da empresa e, se bem elaborado, pode solidificar a credibilidade de seu consumidor. Essa concepção estética ajuda a guiar o cliente a um caminho persuasivo que deve despertar o interesse de compra. Assim, ausência de imagens ou imagens de baixa qualidade, textos informais e/ou pouco explicativos e difícil navegabilidade depõem contra sua empresa.

O design engloba também questões de usabilidade. Considerando que a dinâmica do acesso à internet impõe à sua página uma concorrência intensa com milhões de outros sites possíveis, sua plataforma deve ser completa, mas jamais burocrática (que não leve o cliente para muitas telas diferentes, por exemplo, já que poucos segundos são o suficiente para fazê-lo desistir da navegação).

5. Invista em segurança da informação

Em 2018, as famosas lojas de departamento Saks Fifth Avenue e Lord & Taylor sofreram um duro golpe em suas reputações quando a plataforma das duas redes norte-americanas foram invadidas por hackers em uma ação de violação de segurança que resultou no roubo de dados de 5 milhões de cartões de crédito.

Os meses que sobrevieram mostraram uma chuva de indenizações judiciais e queda drástica nas vendas da empresa. Mas não foram somente essas duas lojas que enfrentaram problemas recentes com segurança de dados.

Por aqui, a mais importante loja de varejo eletrônico de calçados foi vítima do maior incidente de segurança do país também no mesmo ano, quando dados de 2 milhões de clientes foram parar nas mãos de cibercriminosos. Poderíamos citar ainda dezenas de outros casos semelhantes, especialmente relacionados às pequenas lojas online, mais frágeis em seus mecanismos de proteção.

Oferecendo muito mais conforto, comodidade e preços baixos (pelo menor custo de manutenção), o comércio eletrônico tem tudo para suplantar as lojas físicas em volume de vendas…e em breve. Seu algoz, entretanto, é a necessidade permanente de provar aos consumidores que a compra pela internet é tão ou mais segura do que pelas lojas tradicionais.

Diante dessa problemática, investir na segurança da loja online é prioritário para quem quer saber como faturar mais. E o passo mais importante nessa direção é ter um Certificado Digital SSL.

O Certificado SSL (Secure Socket Layer) é um protocolo de segurança que forma uma espécie de blindagem em sua plataforma. Ele criptografa as informações dos usuários, impedindo que terceiros não autorizados tenham acesso a elas, ainda que consigam interceptar os dados na rede.

Ter esse recurso é proteger seus clientes e a própria credibilidade de seu negócio, especialmente porque, apesar da complexidade do funcionamento, a presença desse certificado é de fácil identificação até mesmo por leigos: o cadeado verde no canto esquerdo da barra de endereços e o “HTTPS” antes do nome do site mostram ao seu consumidor que sua plataforma tem segurança e que é possível fazer compras sem medo.

6. Acompanhe métricas e indicadores

Sem referenciais, uma embarcação jamais chegará ao seu destino. Da mesma forma, métricas e indicadores são cruciais para entender por quais mares seu negócio está navegando e como formular estratégias para ampliar suas vendas em qualquer época.

Desse modo, se você quer saber como faturar mais, monitore permanentemente os indicadores de desempenho de sua loja. Fique de olho especialmente em:

  • Taxa de abandono de carrinho: qual o percentual de clientes que abandonou a compra na área de checkout? Isso pode indicar a ausência de meios de pagamento que abriguem todas as possíveis necessidades de seu consumidor ou frete em desacordo com os valores de mercado;
  • Tempo médio de entrega: além de uma política inteligente de frete, é preciso que seus produtos cheguem ao destinatário com a máxima rapidez possível. Se esse indicador for demasiadamente extenso, talvez seja preciso repensar suas estratégias de logística;
  • Taxa de conversão: diz respeito ao percentual de clientes que efetivamente compraram em sua plataforma em relação ao número total de visitantes;
  • Retorno sobre Investimento (ROI): é calculado pela divisão entre o retorno do investimento e seu custo. Se o custo total para vender cada smartphone é R$ 1.000,00 e esse mesmo aparelho é vendido por R$ 1.200,00, o ROI será de 1,2.

7. Faça campanhas segmentadas

Como a compra pela internet retém quase a totalidade dos dados do negócio em sua plataforma, o investimento em soluções de Big Data tende a produzir resultados mais expressivos, sobretudo no conhecimento e fidelização do cliente. É um caminho seguro para quem quer entender como faturar mais em seu varejo eletrônico.

Vale aqui citar o exemplo de uma famosa rede supermercadista nacional, que passou a usar a análise de dados para entender quais as preferências de cada cliente. Com o tempo, esse conhecimento foi utilizado para formular promoções personalizadas a cada consumidor “sumido” das gôndolas da empresa.

Imagine receber em seu e-mail um cupom de desconto de 60% em cima daquele seu vinho preferido? Ou 70% off para comprar aquele chocolate favorito? É evidente que esse grau de customização faz o consumidor sentir-se respeitado e o aproxima de sua loja.

Bom, chegamos ao fim por hoje. Você percebeu que a forma como a empresa se mostra na internet é fundamental para conquistar seus clientes, certo? E que, entre esses 7 mandamentos de um e-commerce de sucesso, segurança é fundamental.

Que tal então conquistar de vez a confiança de seus potenciais consumidores investindo em recursos de proteção de dados? Baixe agora nosso e-Book “Como aumentar a segurança do seu site” e aprenda mais detalhes de como faturar mais por meio de credibilidade e confiabilidade!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *