Como montar um plano de negócios para sua empresa?

É certo que empreender não é uma tarefa simples, já que inúmeras variáveis devem ser consideradas, sobretudo no período inicial do negócio. Por isso, planejar bem as suas ações, definir as melhores estratégias e desenvolver um bom plano de negócios estão entre os pilares para o crescimento saudável de uma empresa.

O plano de negócios é a base de uma empresa. Ele pode ser compreendido como um documento estratégico, no qual serão descritos todos os objetivos do seu negócio e suas características. Além disso, é no plano de negócios que o empreendedor avaliará variáveis de mercado, demonstrando a viabilidade do empreendimento sob as óticas operacional, financeira e fiscal, entre outros pontos essenciais.

Na prática, o plano de negócios reforça a solidez da empresa, antecipando cenários econômicos, riscos, desafios e oportunidades, tudo para manter o negócio em operação da melhor maneira possível.

Contudo, para se obter o máximo proveito do seu plano de negócios, é necessário saber como estruturá-lo. Por isso, pensando em ajudar, preparamos este artigo mostrando o que de mais importante deve ser considerado nesse documento. Continue a leitura e confira!

Elabore um sumário executivo completo

O sumário executivo é a primeira parte do plano de negócios, embora seja recomendado elaborá-lo por último, já que ele traz um resumo de cada parte do plano, além de evidenciar as principais características da sua empresa.

No sumário executivo, é fundamental que se elabore uma descrição detalhada do empreendimento, inserindo informações como:

  • missão da empresa;
  • perfil dos empreendedores;
  • produtos e serviços, além dos seus principais benefícios;
  • segmento de clientes que será atendido;
  • localização da empresa;
  • investimento total para abertura do negócio;
  • indicadores financeiros;
  • forma jurídica;
  • regime tributário.

A ideia do sumário executivo é trazer uma noção geral do negócio, pontuando acerca das suas características e diferenciais. Assim, o ideal é que ele seja simples e completo, desperte o interesse de quem o lê, transmita todo o profissionalismo da empresa e destaque as principais conclusões para orientar o empreendedor.

Desenvolva uma análise de mercado estratégica

Um dos principais componentes de um bom plano de negócios é a análise de mercado. É essa análise a responsável por mostrar ao empreendedor as principais nuances do mercado no qual ele atuará, como o perfil do seu público, concorrentes e fornecedores.

Nessa fase, o primeiro passo é identificar o segmento de clientes que você pretende atender. Isso aumenta a eficiência das ofertas, pois as torna mais direcionadas a cada perfil de consumidor. Para ajudar nessa definição, os seguintes questionamentos precisam ser respondidos:

  • Quem está comprando?
  • O que está sendo comprado?
  • Por que está comprando?

Além disso, a pesquisa de mercado precisa aprofundar a relação da empresa com o seu público alvo. Dessa forma, é essencial que ela demonstre algumas características básicas desse público, tais como:

  • seus hábitos de compra;
  • sua idade;
  • onde mora;
  • qual o seu estilo de vida;
  • quais as suas preferências;
  • nível cultural.

Esse conhecimento é a base para a definição de canais de distribuição, ações promocionais e de marketing e da política de preços do seu negócio, por exemplo.

Conheça bem os seus concorrentes

Outro ponto crucial a ser considerado no plano de negócios é a concorrência. Nesse quesito, é válido destacar que os concorrentes devem ser avaliados de acordo com a sua posição no mercado. Assim, fica mais fácil compreender os desafios que o seu negócio enfrentará.

Uma análise consistente da concorrência passa por alguns questionamentos, sendo eles:

  • Você conhece os produtos/serviços oferecidos pelo concorrente, suas características, diferenciais e preços?
  • Por que os clientes compram ou deixam de comprar do seu concorrente?
  • Seu concorrente é capaz de responder rapidamente às ações da sua empresa?
  • O concorrente tem uma boa estrutura, com recursos humanos, financeiros e tecnológicos suficientes para reagir ao mercado?

As respostas a essas perguntas ajudam você e quem deseja investir no seu negócio a compreender melhor o cenário em que a empresa está situada, o que é indispensável para avaliar a viabilidade da atuação e a capacidade de crescimento e de exploração de oportunidades.

Reserve uma parte do plano de negócios para tratar dos fornecedores

A depender do tipo de empreendimento, os fornecedores figuram não só como elementos estratégicos para as operações, mas como agentes indispensáveis ao funcionamento da empresa. Nesse sentido, é preciso reservar uma parte do plano para tratar deles.

A recomendação é buscar sempre os melhores fornecedores. Para tanto, faça pesquisas no mercado, busque informações na internet e aprofunde o conhecimento a respeito desses parceiros.

Conhecer questões como preços, condições de pagamento, diferenciais competitivos, prazos de entrega e nível de qualidade dos fornecedores faz toda a diferença na formulação de uma base de empresas parceiras, as quais auxiliarão no crescimento do seu negócio.

Estabeleça as diretrizes operacionais

Todo plano de negócios precisa definir quais serão os caminhos percorridos pela empresa durante o seu funcionamento. Ou seja, é necessário traçar como será o funcionamento da firma e o que será feito para que ela consiga atingir o público com a venda de um produto ou serviço.

Na prática, o plano operacional serve para se ter uma noção do que é possível obter de resultados em um determinado período, isto é, quanto o negócio consegue vender e faturar. Para isso, as seguintes variáveis podem ser consideradas:

  • quantidade e qualificação dos funcionários da empresa;
  • produtividade das equipes;
  • aparato físico e tecnológico disponível para as atividades do negócio;
  • capacidade de entrega e fornecimento dos fornecedores;
  • tempo necessário para o fechamento das vendas.

É certo que existem muitas outras questões que precisam ser consideradas na parte operacional da empresa. Contudo, as que listamos já oferecem um norte quanto àquilo que precisa ser avaliado.

Seja claro no plano financeiro

Não existe um plano de negócios sem um planejamento financeiro. Essa parte é uma das razões de ser desse documento, sendo, portanto, indispensável para qualquer empreendimento. Aqui, é preciso incluir tudo aquilo que envolva recursos financeiros, contas, investimentos, capital de giro etc.

Nessa parte, você deve ser bastante técnico e preciso, detalhando os fatores que interferirão no orçamento do negócio. Assim, questões como fornecedores, equipamentos, imóveis, funcionários, tributação, juros, investimentos e afins deverão estar elencadas e apresentadas em números.

Essa é, sem dúvida, uma das partes mais importantes do plano de negócios, pois amplia a visão do empreendedor sobre a situação da empresa, já traçando um cenário financeiro provável para o futuro. Desse modo, fica muito mais fácil agir e tomar decisões conscientes.

Por fim, é importante destacar que o sucesso de um empreendimento depende não só de um bom plano de negócios, que defina estrategicamente os caminhos a serem percorridos. Além disso, é preciso que a empresa seja organizada, rígida com as questões fiscais, documente bem suas atividades e adote processos inovadores e eficientes.

Para isso, apoiar-se no uso da tecnologia é primordial. Um bom exemplo é o Certificado Digital. Atualmente, esse recurso ajuda empresas de diferentes portes a otimizar suas atividades diárias, como:

  • o envio e recebimento de documentos eletrônicos — rompendo com os formatos analógicos, que são mais custosos e ineficientes e totalmente dependentes de papel e expedientes manuais;
  • assinatura de contratos e atos empresariais;
  • cumprimento de obrigações junto ao fisco;
  • emissão de notas fiscais, entre outras ações.

O Certificado Digital simplifica a vida do empresário, encurtando distâncias nas suas transações e reduzindo custos e prazos na conclusão de negociações.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como montar um plano de negócios, não pare por aqui. Aproveite e confira também nosso artigo sobre segurança da informação nas empresas, tema muito relevante no cenário atual!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *