O que esperar das Healthtechs no Brasil?

- Tempo de leitura: 5 minutos.

Nos últimos anos, o termo startup ganhou notoriedade, isso se deu pelo fato de as empresas desse segmento focarem na inovação e tecnologia. No setor da Saúde, isso não foi diferente: justamente nesse sentido que surgiram as healthtechs. O mercado em questão vem crescendo no Brasil, por intermédio de seus serviços que visam ampliar a oferta e qualidade da saúde no país.

De acordo com levantamento feito pela Distrito Healthtech Report com apoio da KPMG, atualmente existem 542 healthtechs em território brasileiro. Boa parte dessas empresas são consideravelmente novas, com menos de cinco anos no mercado.

Segundo a pesquisa, a maioria desses negócios têm suas atividades voltadas para a solução de gestão e prontuários eletrônicos. Ainda em destaque estão o setor de acesso da informação, a telemedicina e o diagnóstico.

Para saber mais sobre as healthtechs continue lendo este texto. 

O que são as healthtechs?

Originário do inglês, o termo junta as palavras health (saúde) e tech (tecnologia), expressando assim o objetivo final desses empreendimentos: levar soluções para todos os segmentos do setor da Saúde. Tais recursos podem englobar desde a criação de hospitais e clínicas, até o atendimento direto com os pacientes.

O conceito geral das healthtechs é baseado em empresas que normalmente possuem um modelo de alto risco ao mesmo tempo que apresentam um projeto pioneiro, a fim de melhorar o setor da Saúde. Para isso, essas startups contam com apoio da tecnologia na expansão de seus serviços.

Outro fator fundamental para entender como esse sistema funciona está relacionado ao número de pessoas que esse negócio atinge, já que normalmente abrange uma grande escala.

As healthtechs também trabalham com agilidade para que os serviços sejam oferecidos de maneira rápida, por isso, também se espera que o modelo de negócio evolua na mesma proporção.  

Healthtechs no Brasil

Ainda de acordo com a pesquisa da Distrito, essas empresas empregam quase 10 mil pessoas no Brasil. Ao longo de 2020, os setores que mais se destacaram foram o de gestão, prontuário eletrônico do paciente e telemedicina.

Com a pandemia da COVID-19, observou-se um impulsionamento desse segmento, levando em consideração a necessidade de um serviço de medicina mais automatizado, com o suporte da tecnologia.

Apesar de apresentarem crescimento, o cenário nacional ainda é pequeno se comparado ao mercado mundial e outros setores de empreendimento. No entanto, é válido ressaltar o impacto direto que as healthtechs realizaram na modernização da Saúde, em âmbito geral.

Principais healthtechs no Brasil

O relatório citado anteriormente também aponta algumas healthtechs que se destacam no país. O levantamento considera alguns aspectos como: o faturamento das empresas, investimento captado, visibilidade no mercado e número de funcionários.

Entre elas, as principais são: Dr. Consulta, Sanar, Memed, CMtecnologia, Vitta, Magnamed, Labi, Consulta Já, Vittude e SIM.

Nesse setor ainda existem as IDTechs que foram criadas com o objetivo de simplificar a relação entre empresas e pessoas, usando a identidade digital a seu favor.

Com isso, empreendimentos como esses garantem a segurança em relação a dados, transações e outros fatores que envolvem a área, com a finalidade  de modernizar o setor da Saúde. Uma dessas organizações é a Soluti. A IDTech integra e promove segurança e facilidade para assinatura de exames, laudos, prescrições e outros aspectos que envolvem a área. 

Quer saber mais sobre o impacto da tecnologia na Saúde? Leia o artigo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *