Padrão TISS: como ele impacta o faturamento hospitalar?

- Tempo de leitura: 6 minutos.

Uma das estratégias mais importantes para o setor de Saúde é a padronização, por meio de um sistema organizacional capaz de otimizar os processos da área. Para isso, no ano de 2005, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) criou o padrão TISS – Troca de Informações em Saúde Suplementar. Trata-se de uma regra que colabora para a gestão das atividades burocráticas ligadas à saúde suplementar que engloba planos e seguros privados de assistência médica.

Conforme a regulamentação, os profissionais que prestam serviços médicos precisam obrigatoriamente enviar o faturamento no padrão TISS, a fim de garantir que todos os estabelecimentos do ramo da Saúde funcionem da melhor maneira possível.

Apesar de o principal foco dessa regulamentação ser a redução de fraudes e de faturamentos não recebidos ou recusados dentro das organizações de Saúde, esse sistema também corrobora para a organização do faturamento hospitalar.

Quer saber mais sobre o Padrão TISS? Continue a leitura.  

O que é o Padrão TISS?

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), os pagamentos às instituições de Saúde são demorados, com tempo de recebimento médio de aproximadamente dois meses. Com isso, fica evidente que a otimização do recebimento é uma das maiores dificuldades quando falamos do faturamento de instituições hospitalares.

Na prática, o TISS funciona como uma linha básica para direcionar os sistemas eletrônicos dentro da área da Saúde, para ajudar nos desafios dessa etapa. É diante dessa regulamentação que os processos de transações entre prestadores de serviço, beneficiários e planos de saúde se tornam cada vez mais eficazes.

Guia TISS

Seguindo esse preceito, a ANS criou um documento em formato de guias, para organizar tais processos. Entre eles, os mais introdutórios são: guia de consulta, guia de serviço profissional, serviço auxiliar de diagnóstico, terapia e guia de solicitação de internação.

Qual a diferença entre o padrão TISS e o padrão TUSS?

Nesse cenário de regulamentações, o padrão TISS não é o único. Enquanto ele tem a função de organizar os dados, existe também outro padrão intitulado TUSS que cumpre um papel diferente. 

O objetivo da tabela TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) é padronizar a nomenclatura e os códigos dos procedimentos médicos, para que a comunicação entre as operadoras e a agência regulamentadora seja mais clara.

Vale ressaltar que apesar das diferenças, no geral, os padrões TISS e TUSS apresentam a mesma finalidade: que o acesso a exames, procedimentos ou outros tipos de atendimento na área da Saúde ocorram de forma eficiente.

Faturamento Padrão TISS

Seguindo a regulamentação, é necessário que as instituições hospitalares ou clínicas façam o chamado faturamento. Esse procedimento financeiro é realizado virtualmente, por intermédio  de um formulário que deve seguir o padrão TISS.

Inicialmente, o processo em questão foi criado para reduzir as glosas – faturamentos não recebidos ou recusados nas organizações de saúde – e fraudes ligadas a planos de saúde.

No entanto, sabe-se que essa não é a única maneira em que o padrão TISS impacta no faturamento hospitalar. Vale ressaltar que é por meio desse método que as receitas são controladas da melhor forma.

Com ele é possível preencher de maneira precisa guias de consulta, honorários, gestão de arquivos XML, status das faturas e revisão das glosas hospitalares.  Com o Faturamento TISS, a gestão financeira de empresas do ramo hospitalar é beneficiada pela otimização.

Nova Resolução padrão TISS

No início deste ano, com o objetivo de  melhorar ainda mais a regulamentação, a Agência Nacional de Saúde Suplementar atualizou o padrão TISS. Seguindo a publicação do Diário Oficial da União, foram mantidas as versões de Conteúdo e Estrutura (202111), de Segurança e Privacidade (202107) e de Comunicação (04.00.01 e 01.03.00). 

No entanto, algumas mudanças foram estipuladas, como a atualização das terminologias de Materiais e OPME e de Medicamento, além da maneira de enviar para a ANS os procedimentos e itens assistenciais.

Como teSoluções tecnológicas na área da Saúde

Com a finalidade de  organizar dados e o faturamento do setor hospitalar, em meio à era da tecnologia, o padrão TISS se tornou imprescindível. A prática auxilia na gestão e otimiza o procedimento com as diferentes questões referentes ao faturamento de instituições hospitalares.

Pensando justamente nos impactos da tecnologia nessa área, a Soluti, líder no mercado de Certificação Digital, oferece diversas opções em seu portfólio para o setor da Saúde. 

Com recursos inovadores em identidade digital e assinaturas eletrônicas, a IDTech também é referência no mercado brasileiro de Certificação Digital, com serviços que  proporcionam soluções modernas e contribuem para melhor eficiência na administração dos hospitais.

Saiba como mais de 230 Instituições de Saúde em todo o Brasil já foram modernizadas. Clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *