Entenda aqui as diferenças entre SSL e Let’s Encrypt

Garantir a segurança da comunicação de dados e informações sensíveis dentro de uma página na internet se tornou algo extremamente necessário nos dias atuais. Apesar dos benefícios e facilidades trazidas pelo meio online, não há como negar que os riscos existem, sobretudo para as empresas que operam com diferentes dados dos seus clientes, parceiros e de terceiros.

Nesse contexto, o Certificado Digital tem reforçado o quesito segurança online, autenticando usuários, serviços e criando ambientes protegidos de transmissão de dados entre o visitante e os servidores de um site, por exemplo. Nesse ponto, diferentes modelos de Certificado se tornam ainda mais comuns, a exemplo do SSL e Let’s Encrypt.

O Certificado SSL já é bastante conhecido e aplicado no mercado, diferentemente do Let’s Encrypt, que é um padrão mais recente e que ainda está se popularizando. Embora tenham finalidades semelhantes, esses dois modelos de Certificado apresentam uma série de diferenças importantes e que você precisa conhecer.

Para facilitar as coisas, preparamos este artigo aprofundando a discussão sobre as características e distinções desses Certificados. Acompanhe!

Certificado SSL e Let’s Encrypt: o que há por trás desses conceitos?

Como dito, tanto o SSL quanto o Let’s Encrypt são modelos de Certificado voltados basicamente para as mesmas finalidades. O que muda é a maneira com que cada tecnologia opera ao ser empregada em uma página.

SSL (Secure Socket Layer)

O SSL é o protocolo utilizado para criar “pontes” seguras de comunicação entre o dispositivo do usuário e o servidor no qual se encontra hospedada a página acessada. Na prática, o SSL é o padrão de segurança responsável por dar ainda mais efetividade ao protocolo de navegação “https”, ao indicar, por meio de um cadeado, a presença de uma camada de segurança no ambiente.

Hoje, o SSL está presente em todos os tipos de sites, portais e blogs, mas é ainda mais comum em e-commerces, locais em que é indispensável estabelecer uma comunicação segura com o cliente e em que se trabalha com dados de caráter sensível, como informações pessoais e bancárias do usuário. A função do SSL é evitar que esse tipo de dado seja acessado por terceiros, pondo em risco a sua integridade.

Let’s Encrypt

Paralelamente ao SSL, existe o Let’s Encrypt que, na prática, é uma Autoridade Certificadora global, que permite que pessoas físicas e pessoas jurídicas em todo o mundo obtenham, renovem e gerenciem Certificados SSL/TLS.

Assim como no SSL padrão emitido por qualquer Autoridade credenciada, o serviço oferecido pela Let’s Encrypt também permite aos utilizadores habilitar conexões seguras, por meio do protocolo “https” — embora não ofereça toda a robustez do SSL.

A Let’s Encrypt surgiu em 2016 e, desde então, qualquer site, loja virtual, portal ou blog, por exemplo, pode aproveitar da segurança oferecida pelo cadeado verde apresentado na barra de navegação da página de maneira gratuita. Inclusive, esse é o ponto principal que distingue SSL e Let’s Encrypt.

Assim sendo, para que se compreenda melhor, falar em SSL e Let’s Encrypt é, na verdade, falar de Certificados SSL. A diferença é que um é pago e conta com recursos mais sofisticados de segurança, enquanto este é gratuito e ainda pouco validado no mercado.

Contudo, existem outras distinções importantes e que também merecem ser mencionadas. É o que faremos mais adiante!

Quais as diferenças práticas entre SSL e Let’s Encrypt?

Do ponto de vista da segurança, existem algumas distinções importantes entre um Certificado SSL emitido por uma Autoridade Certificadora privada, mediante pagamento, e um SSL fornecido pela Let’s Encrypt de forma gratuita. Um exemplo claro fica por conta do nível de validação e das garantias oferecidas em cada um dos padrões, em caso de rupturas na segurança.

Por se tratar de um serviço mais recente, a Let’s Encrypt, além de não transparecer muita confiança, não oferece garantias em relação à proteção dada por seu Certificado. Por outro lado, Autoridades Certificadoras diversas oferecem uma espécie de “seguro”, pago em dinheiro, caso falhas sejam detectadas no Certificado. Ou seja, o SSL acaba sendo uma opção mais confiável.

Além desses pontos, também podemos citar mais alguns que diferenciam essas tecnologias. Veja!

SSL pago

  • para ser instalado, depende de um IP dedicado;
  • necessita ser gerado por uma Autoridade Certificadora devidamente homologada;
  • oferece garantias contra falhas e rupturas na segurança, ressarcindo financeiramente o utilizador por eventuais danos;
  • tem um prazo de validade médio de 1 ano;
  • possui uma melhor retrocompatibildade com softwares e navegadores mais antigos, visto que se trata de um padrão mais consolidado no mercado.

SSL gratuito Let’s Encrypt

  • não depende de IP dedicado para ser instalado na página;
  • não tem nenhum custo de utilização, muito embora também não ofereça nenhuma garantia de proteção avançada;
  • não possui seguro contra fragilidades na segurança;
  • tem duração de 90 dias, o que significa que precisa ser constantemente renovado pelo utilizador;
  • por se tratar de um Certificado mais recente, tem uma menor retrocompatibilidade com sistemas, softwares e navegadores mais antigos, o que pode gerar falhas.

No mais, existem algumas desvantagens que são exclusivas do Certificado fornecido pela Let’s Encrypt. São elas:

  • impossibilidade de proteger múltiplos subdomínios dentro da página;
  • não é capaz de verificar a identidade do indivíduo da empresa — o que torna mais sensível a troca de informações entre o visitante e o servidor, pois não se sabe se a página é realmente de quem se diz ser;
  • não trabalha com a validação estendida de domínio — isso significa que não há a presença da barra verde ao lado da URL da página;
  • não opera com Certificados de validação da organização (OV);
  • não possui Certificados com validação estendida (EV).

Qual é a melhor opção?

Como vimos, cada modelo de Certificado SSL tem suas características e funcionalidades. Embora a Let’s Encrypt possibilite às empresas e ao usuário comum aproveitar de alguns recursos de segurança de forma gratuita, o modelo ainda apresenta uma série de ressalvas em relação ao SSL pago, emitido por Autoridades Certificadoras reconhecidas.

Na prática, o SSL padrão, por um custo totalmente acessível, oferece uma maior confiabilidade, robustez e segurança tanto para a página quanto para o visitante. Além disso, esse é um protocolo já bastante validado no mercado, sendo utilizado por empresas de diferentes segmentos e que necessitam de alto rigor na gestão de suas informações.

Por fim, SSL e Let’s Encrypt têm uma forte inclinação pela qualificação de ambientes virtuais de sites, lojas online, portais de serviços, redes sociais e tantos outros. Porém, como vimos, existem distinções cruciais que podem indicar que é melhor escolher uma solução mais completa, embora exista um custo.

Gostou deste artigo? Quer receber mais conteúdos sobre segurança e tecnologia direto em seu e-mail? Assine nossa newsletter!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *