Autenticação eletrônica por meio do Certificado Digital: entenda sobre!

- Tempo de leitura: 17 minutos.

Não pode ler agora? Ouça a matéria clicando no player:

A utilização dos meios digitais para comunicação, compartilhamento de informações e realização de transações se tornou algo típico na atualidade. A comodidade e agilidade trazida pela internet, em grande medida, contribuiu para o crescimento do uso desse canal, sobretudo no contexto empresarial.

Entretanto, a segurança da informação também se tornou uma questão importante nesse meio, em razão dos riscos que o compartilhamento de dados sensíveis sem os devidos cuidados e mecanismos de proteção pode representar para um negócio. Nesse sentido, a autenticação eletrônica surge como uma alternativa para o reforço da segurança em atividades online.

Hoje, essa autenticação é efetivada de diversas maneiras e tem diferentes níveis de robustez. Assim, preparamos este artigo com os principais pontos acerca deste tema e para mostrar como o Certificado Digital aprimora todo esse processo de autenticação. Acompanhe!

O que é a autenticação eletrônica?

Indo direto ao ponto, podemos entender a autenticação eletrônica como um processo que visa correlacionar, de maneira íntegra e confiável, um determinado documento ao seu verdadeiro autor. Em outras palavras, é uma forma de garantir que um documento está sendo acessado por quem realmente tem autorização para tanto, ou para se ter a certeza de quem é o seu signatário.

No passado, esse tipo de procedimento não tinha tanta relevância, visto que os meios digitais eram pouco utilizados para o compartilhamento de documentos e dados. Contudo, com a evolução da tecnologia e a popularização da internet, hoje é muito comum a celebração de contratos digitalmente, a interposição de ações judiciais via plataformas online e a assinatura digital com validade jurídica.

Assim, a autenticação eletrônica se tornou uma necessidade, sobretudo para aumentar a segurança das transações efetivadas digitalmente, garantindo a autenticidade dos documentos e a real titularidade das partes.

Quais são as vantagens desse processo?

Na prática, as vantagens da assinatura eletrônica são inúmeras, especialmente na atualidade, em que a quantidade de transações realizadas a partir de meios digitais cresce cada vez mais, exigindo mecanismos mais modernos, confiáveis e ágeis para se autenticar usuários e informações.

A seguir, listamos algumas das principais vantagens agregadas pela assinatura eletrônica. Confira!

Reduz os custos com processos de autenticação

Durante muito tempo, as empresas, principalmente, foram reféns dos processos de autenticação mecânica, dependendo diretamente dos tradicionais cartórios para validar atos, contratos e autenticar documentos, com o objetivo de garantir a validade jurídica.

Essa realidade, no entanto, sempre gerou alguns entraves. A exemplo, os custos dos processos eram mais elevados, já que cada ato ou documento precisa ser autenticado de forma isolada, gerando o pagamento de taxas pelo serviço.

Com a autenticação eletrônica essa realidade mudou bastante. Com o apoio de ferramentas tecnológicas, como o Certificado Digital, esse processo de autenticação de usuários, documentos e atos pode migrar para o meio digital, reduzindo significativamente os custos.

Hoje, além de muito mais rápida, a autenticação eletrônica não demanda custos individualizados, isto é, por cada ato de autenticação. Empresas podem autenticar grandes volumes de documentos e ações, sem implicar em acréscimo de custos. Além disso, ainda há a redução de custos provocada pelo uso de documentos digitais no lugar das vias impressas.

Viabiliza a digitalização de diversos processos

Outra grande vantagem da autenticação eletrônica é que esse formato contribuiu diretamente para que as empresas pudessem migrar suas atividades para o mundo digital. Assim, em vez de se optar pelos contratos em papel, por exemplo, que dependiam de autenticação via cartórios, hoje já se fala em contrato digital, de existência apenas eletrônica.

Esse padrão, muito mais econômico e moderno, permite o compartilhamento ágil, fácil e pode ser autenticado por Certificado Digital, atestando, com validade jurídica, a identidade das partes e a veracidade das informações ali constantes.

Além disso, a autenticação eletrônica trouxe muito mais segurança e validade aos arquivos em formato digital, gerando um grande incentivo para que os negócios migrassem seus processos para esse formato. Graças a essa digitalização, hoje empresas não precisam mais gerir grandes volumes de documentos em formato físico, armazenando-os em arquivos dentro das suas instalações, o que gerava altos custos e uma grande morosidade.

Diminui a burocracia

Do ponto de vista da simplificação dos processos, a autenticação eletrônica também trouxe avanços significativos. A exemplo, hoje empresas podem firmar contratos com clientes em qualquer parte do mundo, bastando que as partes estejam conectadas à internet.

Prova disso é o crescimento de negócios no formato SaaS, cuja contratação pelo usuário pode ser feita de forma totalmente remota, sem a necessidade de assinatura de vias físicas de contratos ou envio de documentos impressos. Outro exemplo é a possibilidade de se abrir contas em bancos digitais sem sair de casa, utilizando a autenticação eletrônica para atestar a identidade.

No mais, graças à autenticação eletrônica por Certificado Digital, já é possível até mesmo abrir uma empresa de forma remota, fazer alteração de contratos sociais de empresas e solicitar serviços a partir de sistemas informatizados das Juntas Comerciais, acessíveis mediante Certificação Digital.

Quais fatores são levados em consideração nesse processo?

Na prática, existem diferentes maneiras de realizar a autenticação em um documento digital. Ou seja, há diferentes formas de se garantir a veracidade das informações e a identidade dos envolvidos. Veja, a seguir, os principais fatores utilizados na autenticação!

Conhecimento

Na autenticação por conhecimento, o acesso ao documento depende da real demonstração de titularidade para essa ação. Em regra, isso é feito por meio de senhas e códigos de acesso, os quais são exclusivos do usuário.

Posse

Diferentemente do conhecimento, pela posse, o acesso a determinado documento ou ambiente virtual é autorizado mediante a posse um dispositivo autorizado. No meio digital, esse dispositivo pode ser um celular previamente cadastrado, um cartão de acesso ou um Token, por exemplo.

Características

Nesse caso, são consideradas as particularidades físicas de uma pessoa para assegurar seu acesso a um determinado documento — a exemplo do que ocorre na biometria. Esse é, sem dúvidas, um dos fatores mais seguros utilizados na atualidade, pois tem um alto grau de individualização dos indivíduos envolvidos em uma operação efetivada online, por exemplo.

Quais são as maneiras de fazer uma autenticação eletrônica?

Para o usuário, o processo de autenticação é algo simples e rápido. No entanto, para que seja assim, existe toda uma metodologia e um sistema por trás, garantido que a tarefa seja executada em conformidade com os padrões.

Na prática, existem diferentes formas de se fazer uma autenticação eletrônica. Entre os métodos mais comuns, podemos citar os seguintes. Confira!

Autenticação local

Nesse formato, as credenciais de acesso do usuário são salvas localmente, na própria aplicação que se deseja utilizar. Ou seja, as informações de acesso não costumam ser compartilhadas com outras aplicações e sistemas.

Esse é um formato mais frágil do ponto de vista de disponibilidade e integridade das informações, pois está mais suscetível a perdas e falhas.

Autenticação centralizada

Esse formato de autenticação, diferentemente do anterior, já permite ao usuário usar as mesmas credenciais de acesso em aplicações diversas. Aqui, há uma base de dados centralizada, acessível por diferentes serviços integrados a ela e que possibilitam ao usuário o acesso a chaves privadas. Essa funcionalidade, por exemplo, é que viabiliza a assinatura de documentos de forma eletrônica.

Autenticação global centralizada

Nesse padrão, o usuário tem a possibilidade de acessar serviços de forma específica, pois há a unificação das informações disponíveis no sistema de dados. Assim, existe um mecanismo de autenticação responsável por gerenciar as autorizações de acesso, funcionando com base em uma estrutura organizacional.

Autenticação global e solução web

Esse é o modelo mais seguro de autenticação. Ele possibilita o uso de um conjunto de serviços e soluções de identificação e segurança digital. Apesar de utilizar apenas um mecanismo de autenticação, nesse padrão são necessários dois fatores para se conseguir acesso às funcionalidades da aplicação e para assinar documentos.

Quais são os tipos de autenticação existentes atualmente?

Como dito, a autenticação eletrônica se tornou praxe nas relações travadas por meios digitais. Hoje dificilmente se consegue firmar qualquer tipo de obrigação, seja contratando um simples serviço ou fazendo uma compra online, sem que haja um mecanismo de autenticação que confirme a identidade do indivíduo que solicita.

Nesse sentido, a depender da necessidade, dos riscos e complexidade da transação, diferentes sistemas de autenticação podem ser utilizados. A exemplo, podemos citar os mecanismos a seguir. Confira!

Senha alfanumérica

Esse é um dos padrões mais simples e utilizados na autenticação eletrônica. Por meio de um login exclusivo e uma senha alfanumérica, o usuário confirma seu acesso demonstrando que é realmente quem diz ser.

Um exemplo claro desse tipo de autenticação é para o acesso em sites, lojas virtuais, redes sociais e serviços disponibilizados via internet. Vale mencionar, ainda, que esse padrão é bastante frágil em comparação a modelos mais complexos de autenticação.

SMS

Outro mecanismo bastante utilizado atualmente para a autenticação eletrônica é o SMS. Em regra, esse sistema está associado a um login e senha do usuário que, após fornecidos, condicionam o acesso à informação de um código enviado via SMS para o celular do indivíduo.

Por se tratar de uma autenticação em dois fatores, é mais seguro e confiável que a simples senha. Por essa razão, é bastante utilizado para acesso sites de instituições financeiras e para a realização de transações nesses canais.

Biometria

Hoje, em razão dos avanços dos aparelhos celulares, a autenticação por meio de atributos físicos tem se tornado cada vez mais fácil e acessível para os usuários. Entre esses aspectos físicos estão a impressão digital, a leitura da íris, o reconhecimento de voz, a geometria da mão, a análise facial, entre outros.

Esses mecanismos, com o passar dos anos, substituíram a utilização das tradicionais senhas, tornando o processo de autenticação mais seguro e simples. Atualmente, por exemplo, é muito comum acessar aplicativos de internet banking apenas com o fornecimento da biometria.

Token

Esse já foi um tipo de autenticação bastante utilizado no passado. De forma resumida, o Token nada mais é do que um dispositivo físico que tem a função de gerar senhas de forma aleatória, com validade por um curto período.

Ao ser necessário acessar um serviço ou concluir uma transação, por exemplo, o usuário utiliza o Token para gerar uma senha única, aplicada apenas nessa ação. Em um próximo uso, a senha gerada já será outra. Dessa forma, evita-se que criminosos e softwares maliciosos consigam ter acesso à credenciais do usuário.

E-mail

Apesar de existirem outros métodos de troca de mensagens mais modernos e dinâmicos que o e-mail, essa ferramenta ainda resiste ao tempo e faz parte da realidade de praticamente todas as pessoas e empresas.

Somada às funcionalidades convencionais e conhecidas do e-mail, há também a possibilidade de autenticação eletrônica de documentos e arquivos. Com a autenticação por e-mail, diferentes usuários podem ser convidados a assinar um documento, recebendo uma mensagem para a confirmação da sua identidade.

Dessa forma, apenas aqueles usuários que tiveram seu endereço de e-mail previamente cadastrado nesse processo poderão ter acesso ao documento enviado. A vantagem desse modelo é que ele é simples e integrado à plataforma de e-mails.

Identidade Digital

A autenticação eletrônica por meio da identidade digital, na realidade, diz respeito a um conjunto de informações e dados relacionados ao usuário que, quando avaliados em conjunto, são capazes de dar mais segurança ao processo de identificação.

Assim, a identidade digital combina informações de localização do usuário, dispositivo utilizado, endereço de e-mail, conta bancária, dados de cartão de crédito e até de comportamento. Esse é um tipo de autenticação eletrônica bastante comum na atualidade, vale destacar.

Certificado Digital

Quando o assunto é autenticação eletrônica, certamente um dos padrões mais sofisticados e confiáveis que se tem à disposição na atualidade é o Certificado Digital. Por meio de protocolos específicos e do uso de criptografia avançada, o Certificado garante um nível mais elevado de segurança ao usuário.

A Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP-Brasil) garante um alto rigor no processo de validação de usuários em atividades online, autenticando as informações por meio do confronto de dados registrados em uma base pública e em mídias e dispositivos móveis que possuem o Certificado instalado. O procedimento é totalmente seguro, além de garantir a mesma validade jurídica de operações realizadas presencialmente, como assinaturas manuscritas de contratos.

Nesse contexto, a Soluti oferece ao usuário uma solução completa para a autenticação eletrônica feita com base no Certificado Digital. A identificação efetivada a partir do S.Login viabiliza o acesso seguro e rígido a sistemas, portais empresariais, lojas virtuais ou qualquer outro canal integrado ao sistema da Soluti, utilizando apenas o Certificado Digital e dispensando o uso do tradicional login de acesso e senha.

Todo o processo de autenticação é feito de maneira automatizada, a partir da moderna tecnologia do Certificado Digital ICP-Brasil, agregando mais agilidade, segurança e flexibilidade ao acesso. Assim, dispensa-se a memorização de senhas e a informação de cada uma delas em diferentes sistemas.

Além disso, firmando seu compromisso com a inovação, a Soluti oferece soluções de Certificado Digital na nuvem, como o Bird ID, uma ferramenta exclusiva, que permite o uso do Certificado Digital de forma remota, sem a necessidade mídias criptográficas físicas, podendo ser utilizado diretamente por um smartphone, tablet ou qualquer dispositivo móvel habilitado.

Por fim, a autenticação eletrônica, mais que uma realidade atual, é uma necessidade das empresas e usuários que precisam aumentar a segurança e a integridade das informações transacionadas em meios digitais. Nesse ponto, contar com o apoio da tecnologia e de mecanismos mais sofisticados para essa finalidade, como o S.Login da Soluti, sem dúvida, pode minimizar os riscos à segurança e ainda otimizar o processo de autenticação de usuários.

Agora que você já sabe da importância da autenticação eletrônica no cenário atual, não pare por aqui. Siga se informando mais sobre as tecnologias que tornam a comunicação de dados mais segura e dinâmica. Assine nossa newsletter e receba os melhores conteúdos sobre esse e outros temas relacionados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *